sexta-feira, 28 de março de 2014

RESENHA: JASÃO E O VELO DE OURO - 1963



JASÃO E O VELO DE OURO - JASON AND THE ARGONAUTS - 1963
SINOPSE:
O heroico Jasão, herdeiro de Esão, rei da Tessália, é impedido de assumir o trono por seu tio usurpador, Pélias, que o envia numa missão impossível somente para se livrar dele: Trazer o lendário Velo de Ouro, a lã mística de um carneiro sagrado, na distante Cólquida. O rei só não imaginava que o Velo de Ouro realmente existia.
 
A INVOCAÇÃO DO MAL


Para cumprir tamanho desafio, Jasão convoca outros heróis, entre eles, o semideus Hércules e encomenda a construção do navio Argos, daí o termo Argonautas.

Na viagem, eles enfrentam seres mitológicos, como as Harpias, a estátua gigantesca de Talos, feita de bronze, o fantástico dragão de múltiplas cabeças, e um grupo de esqueletos armados com espadas.



-x-

Inesquecível adaptação da lenda mitológica das aventuras de Jasão e os Argonautas.

O filme é muito bom, e diferente da série Sinbad, possui um tom mais sério.

Os efeitos são verdadeiros feitos, com perdão do vil trocadilho. Só vendo para entender (1963!!!!)
O QUE PODE SER MAIS ASSUSTADOR QUE ISSO?

Conforme consta na Wikipedia "A sequência em que sete esqueletos brotam do chão e atacam os heróis ainda é considerada como uma das maiores realizações em efeitos especiais cinematográficos do Século XX"


TEM QUE SER MUITO HERÓI MESMO, PARA NÃO CORRER!

As criaturas eram feitas literalmente "no braço", pela equipe de Ray Harryhausen, e dava um trabalho insano toda aquela preparação, com o complicador de ainda ter que criar coreografias para a interação dos seres com atores reais.

Verdadeiros heróis também fora das telas, esses homens devem ser reconhecidos eternamente por proporcionar a milhões de pessoas, o sonho realizado de vislumbramentos mitológicos antes impossíveis com essa qualidade.
TALOS: O GIGANTE DE BRONZE

Interessante como o filme mostra os deuses manipulando os homens da terra como se fôssemos peças de um jogo.

Anos mais tarde, em FÚRIA DE TITÃS, o mesmo tipo de fantasia é repetido.

Curiosidades da Wikipedia:
*Em abril de 2004, a revista inglesa Empire elegeu o Gigante Talos do filme "Jason and the Argonauts" como o segundo melhor monstro cinematográfico de todos os tempos, atrás apenas de "King Kong".

*Ray Harryhausen considera este o seu melhor filme. Seus filmes anteriores normalmente eram exibidos em sessões duplas em cinemas classe "B". A Columbia Pictures conseguiu agendar este filme como único em cinemas classe "A" nos EUA.

*Os escudos que os esqueletos usam na sequência de luta com os argonautas são adornados com desenhos de outras criaturas criadas por Harryhausen, incluindo um polvo e a cabeça de um Ymir do filme 20 Million Miles to Earth.

*Ao final do filme fica uma sensação de "gancho" para uma sequência posterior. Ela, no entanto, nunca foi realizada.

Lembro quando lá nos idos dos anos 70, um colega do ginásio contou pra turma sobre o filme que tinha assistido, descrevendo o gigante de bronze, o dragão de 7 cabeças e a luta dos esqueletos. A rapaziada sonhava, viajava mesmo, e eu ficava com aquelas idéias na cabeça, mas não sabia como era.

Naqueles tempos de pobreza cultural, nem internet tinha ainda, e isso fez com que minha sede fosse aplacada pelas poucas revistas que falavam do assunto, como por exemplo a lendária CINEMIM, muito instrutiva.

Cheguei a ver todos os Sinbad primeiro, e até mesmo FÚRIA DE TITÃS, Jasão ficou realmente por último na minha história. Como Ray o considera seu melhor filme, nada mais natural "o melhor ficar para o final", he he he

NOTA 10