sexta-feira, 1 de março de 2013

RESENHA: KEN PARKER 75 - JOGO DE MENTIRAS


Sinopse:
Parte 1
Ken Parker liberta Pavel, um jovem rapaz de ser sumariamente enforcado pela acusação de roubo de gado. ("-Prefiro libertar um culpado do que matar um inocente")

Enquanto isso, um perigoso grupo de marginais assalta e mata indiscriminadamente na região.

Com seu novo amigo, Ken chega à uma cidadezinha para procurarem emprego.

O problema é que Fanny Reyd, a fria caçadora de prêmios está de tocaia na cidade, disfarçada de prostituta, que passa a ter um relacionamento com o jovem Pavel.

Ao mesmo tempo, Ken é bem recebido por uma família, onde passa a realizar pequenos serviços, iniciando assim, para ele, uma rara fase de tranqüilidade.

Tudo isso nos é mostrado genialmente em flashbacks, através de uma nova história enviada de Ken Parker para o seu editor, Sr. Ned Buntline, que a supervisiona enquanto é reescrita.

-x-

De uma maneira muito bem montada, Berardi nos brinda com duas histórias paralelas, onde um escritor contratado (e explorado) pelo sovina editor Buntline, prepara o texto final da última história enviada por Ken Parker.

Aparentemente, a história é um tipo de registro de memória das
reais aventuras recentes de nosso herói, ainda vagando pelo Canadá, em fuga.

Nota: 8

Para ler somente postagens filtradas com KEN PARKER, clique aqui embaixo ao lado de "Marcadores" em "Ken Parker"