quarta-feira, 28 de maio de 2014

RESENHA:17-1995-GOLDENEYE

CLIQUE NAS IMAGENS PARA AMPLIAR
17-1995-GOLDENEYE
Diretor: Martin Campbell
Ator: Pierce Brosnan

SINOPSE:
Durante missão numa instalação russa, em parceria de 006, James Bond, o eterno agente 007 se vê em fuga desesperada (talvez a mais louca da série), já que algo dá errado, levando à morte seu amigo agente, quando soldados soviéticos liderados pelo Gal. Orumov tentam frustrar a operação. 

006 (SEAN BEAN) E 007 (PIERCE BROSNAN), JUNTOS EM MISSÃO!
Anos depois, os códigos-chave de ataque PEM do sistema orbital Goldeneye são roubados, e mentes terroristas criminosas pretendem lançar um Pulso Eletro-Magnético em Londres, causando um distúrbio mundial de consequências nefastas.


XENIA ONATOPP (FAMKE JANSSEN) E GENERAL OURUMOV (GOTTFRIED JOHN)
Junto com uma lindíssima programadora russa (Izabella Scourrupto), 007 investiga a origem do plano maléfico.

-x-

Após 6 anos de espera, desde que Timothy Dalton fez o último filme da série, temos um ator que encarna muito bem o personagem criado por Ian Fleming.


BORIS (ALLAN CUMMING) E NATALYA (IZABELLA SCORUPCO), PROGRAMADORES DE MÃO-CHEIA
Já conhecíamos o Irlandês Pierce Brosnan do seriado inglês "Remington Steele" (Jogo Duplo), onde fazia um ladrão bastante engraçado, contratado para uma agência de investigação. Eu gostava muito, passava na Globo nos anos 80.


BOND E ONATOPP, TROCANDO FARPAS
A abertura de Goldeneye é de tirar o fôlego. 007 (na verdade um dublê que só pode ser louco), dá um salto espetacular tipo "Bunge-Jump" do alto de uma inacreditavelmente gigantesca represa européia. Na primeira vez que vi, achei que o saldo do enorme paredão era algum efeito especial, mas ele existe mesmo, e se não me engano, fica na Suíça, e vi no Making-of que o cara saltou mesmo! Memorável... memorável...


NADA, OU NINGUÉM SEGURA 007, QUE TEM LICENÇA PARA PILOTAR/DIRIGIR QUALQUER VEÍCULO
As aberturas da franquia de James Bond têm como rival seus próprios filmes anteriores, já que cada vez está mais difícil superar as façanhas do aventuresco agente. Ainda vai morrer alguém... (Oops! Já morreu um dublê em 007 Na Mira dos Assassinos) mas não foi na abertura.


BOND, PERIGO SUPREMO!
Mas no final da cena de abertura, temos um momento polêmico: A cena em que Bond pula de um altíssimo precipício, mergulhando atrás de um avião que tinha acabado de mergulhar também.

Até aí "tudo bem", pois no roteiro ele deveria fazer isso mesmo. O problema para mim, é que na realização (espetacular, como sempre) o avião cai e o dublê cai BEM DEPOIS, ficando a uma distância absurda!

Quando vi no cinema na estréia, um monte de espectador riu alto, zombando da cena, coisa realmente constrangedora para uma franquia dessa categoria. Eu morri de vergonha pelos realizadores, mas entendo que foi mais um problema de realização, de montagem e de melhor definição física das possibilidades.


UM MERGULHO IMPOSSÍVEL: IDEIA BOA, MAS MAL REALIZADA.
Para "ficar legal", quando o avião cai do precipício, Bond deveria estar quase alcançando-o, de moto. Talvez até já segurando a borda da porta lateral da aeronave. Aí sim seria legal vê-lo lutar contra a força contrária gerada pelo mergulho do avião, e depois assumindo os controles e desviando das rochas ao redor.

Perderam uma boa oportunidade de um grande final. Quem sabe uma remontagem...



Bem, deixa pra lá! Temos ainda o velho e bom Desmond Llewelyn interpretando o Major Boothroy, codinome Q, ótimo como sempre. Hilária a cena do sanduíche.


IZABELLA, IZABELLA...
Agora voltemos nossos olhos aos céus: Nesse filme, temos duas das mais lindas Bond-girls: Izabella Scorupco, hiper linda, dona de um rosto magnífico, no auge de seus 25 anos.

Para nossa sorte, ela acompanha Bond em suas estripulias, terminando, é claro em seus braços.
ONATOPP, ASSASSINA PSICOPATA, MATA RINDO!
A outra gracinha é a vilã demoníaca Famke Jansem, que praticamente possuída pelo cramulhão, geme de prazer ao metralhar as pessoas. (UAU!).

A bela atriz nunca esteve tão linda como essa vilã inesquecível, mostrando uma sensualidade selvagem que nos deixa hipnotizados com seus olhares e sorrisos safados.


NEM SEMPRE ELA RI...
Mais conhecida no papel da heroína Jean Grey da série X-men, temos aqui em Goldeneye talvez seu melhor momento até agora.


FAMKE E SCORUPCO, BOND-GIRLS, PARA O MAL OU PARA O BEM...
NOTA: 9,3 (1º lugar, Junto com "O ESPIÃO QUE ME AMAVA", numa comparação normalizada entre todos os outros filmes de 007 - Ver post inicial comparativo)

-x-

GUIA DOS EXTRAS DO BLU-RAY:

*COMENTÁRIOS: 1-Martin Campbell e Michael G. Wilson
*BONUS
   FINALMENTE LIBERADO: DOS ARQUIVOS SECRETOS DO MI6
     * Cenas excluídas (4 cenas)
     * O diário de Martin: Dirigindo Bond (10:19)/2 segmentos (01:59 e 00:53)
     * Construindo um Bond melhor: Featurette da pré-produção (09:04 min)
     * O retorno de Bond - Coletiva de imprensa do início da produção (05:30 min)
     * Dirigindo para Bond: Rémy Julienne (02:58 min)
     * Anatomia de uma proeza: Tanque versus caminhão de Perrier (06:10 min)
     * Miniaturas na filmagem: Derek Meddings (02:40 min)
     * Na locação com Peter Lamont (12:32 min)
     * Goldeneye: Os arquivos secretos (28:31 min)
     * Goldeneye: Os arquivos secretos - O elenco (12:21 min)
     * Sequência de storyboard com Martin Campbell (01:37 min)
     * Créditos
   DOSSIÊ DA MISSÃO
     * O mundo de 007 - Especial de TV de 1995 (43:51 min)
     * Videojornal de Goldeneye (14:16 min)
     * Featurette promocional (05:22)
     * Clipe musical - Goldeneye com Tina Turner (03:33)
     * Locações exóticas
   MINISTÉRIO DA PROPAGANDA
     * ARQUIVOS DE CINEMA, TV E RÁDIO
   BANCO DE IMAGENS