segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

RESENHA: RUSH - NO LIMITE DA EMOÇÃO


RUSH - NO LIMITE DA EMOÇÃO - 2013
Diretor: Ron Howard
Com Chris Hemsworth, Daniel Brühl, Natalie Dormer, Olivia Wilde

Década de 70, era clássica das grandes corridas, Grande prêmio de Fórmula 1: Nasce uma rivalidade sem limites entre o frio, calculista e sem graça Niki Lauda e o figuraça galã-pegador das pistas James Hunt.

Cada um do seu jeito, faz de tudo para vencer a temporada de 1976, disputando cada ponto, numa era bastante perigosa, onde acidentes eram comuns, e pilotos morriam como nunca.

Mas eles só sabiam correr com fúria!
-x-

Escolha seu "herói", recoste-se no cockpit e prepare-se para um turbilhão de corridas à toda velocidade, com muitas emoções fortes.

Ron Howard recriou com precisão todo o ambiente setentista, onde podemos pegar carona na época e curtir também a recriação dos lindos carros "old-style" da F1.

O mais legal é que tudo é baseado em fatos reais, mas para quem não conhece os detalhes, vale a pena evitar ler sobre o assunto, para saber quem vai ganhar, antes de ver o filme.

Eu só sabia do famoso acidente com Niki Lauda, onde ele fica mais de um minuto queimando preso dentro do carro em chamas, e que mesmo assim ele, sedento por pontos, volta a correr em poucos dias, mesmo trespassado de dores. O coitado está deformado até hoje!

Nessa época, com bem diz no filme, os carros eram praticamente bombas com rodas, prontas para explodirem.

Excelentes interpretações de Chris Hemsworth (James Hunt) e de Daniel Brühl (Niki Lauda).



Tem também a gracinha da Natalie Dormer, uma gata-humana, com aquela linda boquinha torta (que foi a Margaery Tyrell em Game of Thrones, a Victortia em Casanova e Anna Bolena em The Tudors)  
ISSO NÃO É UM SER HUMANO: É NATALIE DORMER, UMA DEUSA!
Tem uma rápida reconstituição da corrida de Interlagos, no Brasil, onde vemos mulatas boazudas rebolando e a música "Ê baiana" interpretada por Clara Nunes ao fundo. Legal!
PERIGOSÍSSIMA CORRIDA NA CHUVA: NAQUELES TEMPOS MATAVA!
De resto, é aumentar o som e curtir aqueles motores e seus roncos maravilhosos...

Nota 8