sexta-feira, 19 de julho de 2013

RESENHA WW2: 12 - FURYO – EM NOME DA HONRA

FURYO – EM NOME DA HONRA - Merry Christmas, Mr. Lawrence

SINOPSE:
Em 1942, no campo de prisioneiros da ilha de Java, o rebelde oficial inglês Jack Celliers é notado pelo oficial responsável pelo campo, Yonoi, que parece desenvolver uma estranha empatia.

O problema é que o japoneses desprezam prisioneiros, já que acreditam que é mais honroso morrer antes de se entregar.

Em meio ao drama, o oficial Lawrence, que já morou no Japão, tenta remediar as relações, cada vez mais pesadas e violentas, inclusive para ele.

-x-

Furyo significa algo como “rebelde”, e é uma referência ao papel que David Bowie representa, sempre provocando os seríssimos japoneses.

O filme é hipnótico, pois tem uma bela estranheza, naquela mistura de culturas dentro de uma situação limite.

Parece óbvio que Yonoi, o manda-chuva local tem sentimentos secretos para com Celliers, já que não para de perguntar sobre ele, e fica tentando agradar no que pode, porém tudo é tão sutil que o espectador não pode cochilar senão perde o fino fio da meada.

É meio que um misto de “Broke Bak Mountain” com “Love Story”, dando uma sutilíssima história gay mal resolvida.

O final é antológico e simplesmente inesquecível!

Nota 7

Para ler somente postagens da maratona WW2, clique aqui embaixo ao lado de "MARCADORES" em "WW2"