quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

RESENHA: KEN PARKER 57 - SICÁRIO



SINOPSE:
Dando continuidade a sua nova profissão de agente, Ken Parker se envolve num caso onde um crime encomendado esconde vários segredos.

Aqui temos um vilão realmente possível, mas que não fica à altura de muitos outros da saga "kemparkeriana". Mas temos alguns personagens marcantes, e algumas surpresas medianas dão o tom realista do episódio, um tanto quanto comum, se comparamos com a maioria. 

-x-

Ken Parker foi criado por G.Berardi para que nós, leitores contemporâneos, nos sintamos transportados para um ambiente que simula um western de cores realísticas. E consegue ser bem sucedido, já que para o leitor que se entrega à história, a imersão é total, e produz na memória uma gravação quase indistinta da experiência real.

Esse talento de engendrar roteiros carregados de aventura e humanismo, sem estereótipos, sem cartas marcadas e em "dejá vir", desperta em nossa mente uma paisagem nítida difícil de esquecer, parecendo até que testemunhamos os acontecimentos.

A única explicação possível é que estamos diante de um escritor como poucos, um artífice de muita sensibilidade, muita imaginação e obviamente muito culto, que conhece profundamente a vida e a alma humana, e que adora escrever e mostrar/compartilhar suas ideias ao mundo, ou seja: Um gênio ímpar.

NOTA 7