quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

RESENHA: KEN PARKER 52 - A FÚRIA DE NAIKA



SINOPSE:
Um grupo de homens brancos massacra impiedosamente um grupo indígena, confundindo-os com ladrões de gado. 

Descobrem nesse núcleo, um menino branco sendo criado pelos índios, e o levam de volta para a cidade, não sabendo que tais atos iriam desencadear uma violenta revolta dos Kiowa, principalmente por Naika, pai adotivo do garoto.

Diante dos ataques que se seguiram aos brancos, um grupo de pessoas, entre eles, Ken Parker, em viagem pelo território em guerra, precisa ajudar a levar o menino ao forte mais próximo.

Inicia-se assim uma corrida pela vida, onde os piores adversários possíveis estão à frente: índios implacáveis e um enorme território selvagem, onde os obstáculos tornam dificílima a jornada.  

-x-

Apesar de nosso herói já ter passado por situações bem piores, poucas vezes ele esteve em tanta desvantagem quando partiu para mais essa aventura, onde como parceiros de jornada, apenas um casal para ajudar a levar o menino. Naturalmente, Berardi e Mantero os delinearam e desenvolveram como personagens consistentes, incluindo também Naika, o guerreiro índio obstinado em resgatar seu amado filho branco.

NOTA 9